© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

Quase completando 40 anos, o HIV/Aids ainda traz imensos desafios à ciência e à medicina, apesar dos avanços em termos de tratamento eficaz e seguro.​

Assista a entrevista no Youtube para a TV Câmara em:

https://youtu.be/BjtGDg-kTJ4

Programa especial gravado em alusão ao Dia Mundial de Luta contra o HIV/Aids em 01/Dez/2019.

March 3, 2020

Entrevista para a TV Câmara de Botucatu/SP, discutindo as principais novidades sobre a epidemia do Coronavírus no Brasil e no Mundo, e o que podemos fazer para minimizar o problema.

Assista no YouTube em: https://youtu.be/4rNP5aMGaog

February 21, 2020

Tudo o que você precisa saber pra cair na folia com segurança e sem risco de Infecções Sexualmente Transmissíveis e outras doenças comuns no Carnaval! 🎉

HIV, Sífilis, Hepatite, Doença do Beijo, Herpes, HPV, Leptospirose, Gripe, Coronavírus e muito mais em um bate-papo dinâmico

Assista a entrevista no Youtube em:

https://youtu.be/wXpPV2yzFco

February 17, 2020

A epidemia do novo coronavírus já tem mais de 43 mil pessoas infectadas, sendo que quase 4.400 pessoas conseguiram se recuperar. 

Segundo informações da Xinhua, agência de notícias estatal da China, os médicos chineses pedem que pacientes curados continuem a seguir medidas de proteção, pois não sabem se esse vírus pode ter reincidência.

"Geralmente, certos anticorpos serão produzidos após uma infecção por vírus, que terá um efeito protetor no corpo humano. No entanto, alguns anticorpos podem não durar tanto", afirma Zhan Qingyun, médico do Hospital de Amizade China-Japão, em coletiva da NHC (Comissão Nacional de Saúde).

O infectologista Alexandre Naime Barbosa, professor chefe do departamento de infectologia da Unesp (Universidade Estadual Paulista) explica que caso o vírus sofra mutação, o paciente pode se infectar novamente.

É o caso da dengue e da gripe. “Uma pessoa pode pegar dengue quatro vezes, isso por que o vírus da dengue possui quatro sorotipos diferentes.”

Outra possibilidade par...

February 10, 2020

Vírus, bactérias e até amônia. As enchentes carregam micro-organismos e substâncias que provocam doenças, tanto pelo contato quanto pela ingestão da água, que podem até matar. Um estudo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) detectou a presença de bactérias e substâncias em uma enchente na Vila Itaim, bairro da zona leste de São Paulo próximo ao rio Tietê.

De acordo com o infectologista Alexandre Barbosa, professor da UNESP - Faculdade de Medicina, os materiais encontrados são frequentes em alagamentos, de uma forma geral, devido ao despejo de esgotos não tratados nos leitos dos rios. As bactérias identificadas foram Salmonella, Eschierichia coli, Shiguelle spp, Klebsiella spp e Pseudomonas spp, e as substâncias, fosfato, fósforo, amônia e nitrato.

O infectologista explica que as três primeiras bactérias estão relacionadas a infecções que causam diarreia, que ocorrem quando a água é ingerida. A diarreia leva à perda de água pelas fezes, febre alta, dores abdominais inte...

Vídeo Institucional comemorativo dos 15 anos do SAE de Infectologia "Domingos Alves Meira" - Famesp - Botucatu - HC FMB UNESP 

Assista a no Youtube em:

https://youtu.be/HtBIPoOgnSU

Atualizado em 29/Jan/2020

O novo Coronavírus que surgiu nas últimas semanas de 2019 na China (COv-2019n) vem trazendo muita preocupação à comunidade global, pois até o dia de hoje já são 81 mortes em mais de 16 países, com quase 3.000 casos confirmados. Saiba mais sobre essa infecção na nota elaborada pela Sociedade Brasileira de Infectologia.

O que são coronavírus?

Trata-se de uma nova variante do coronavírus, denominada 2019-nCoV, até então não identificada, isolada na China em 07/01/2020. O novo coronavírus foi identificado em investigação epidemiológica e laboratorial, após a notificação de uma série de casos de pneumonia de causa desconhecida a partir de 31/12/2019, diagnosticados inicialmente na cidade chinesa de Wuhan, capital da província de Hubei.


Este é o sétimo coronavírus conhecido capaz de infectar humanos, incluindo o SARS-CoV e MERS-CoV.

Como este novo coronavírus foi identificado?

O novo coronavírus foi identificado em investigação epidemiológica e laboratorial, após a notif...

Entrevista ao Portal G1 em 08/01/2020, link original aqui, ou leia abaixo: 

Uma médica da Unesp de Botucatu (SP) está fazendo uma pesquisa inédita para diminuir a quantidade de drogas no coquetel dos pacientes com vírus HIV. A ideia da doutora Stephanie Valentini já despertou o interesse do Ministério da Saúde e pretende diminuir os efeitos colaterais dos pacientes.

"Nosso projeto de pesquisa consiste em tirar essas medicações de pacientes que aderem bem ao tratamento, que mantém carga viral indetectável por um período um pouco mais prolongado. A gente retira essas medicações tóxicas, colocando apenas duas drogas", explica a médica.

Segundo o Ministério da Saúde, a Aids é uma doença que não tem cura, mas tem tratamento. O coquetel é importante para evitar que a doença avance, protegendo os pacientes de problemas mais graves de saúde. Assim, se os medicamentos forem tomados corretamente, o paciente pode melhorar a qualidade de vida.

De acordo com Stephanie, o novo coquetel vai fazer com que...

Entrevista para a TV Globo em 04/Jan/2020 

Assista a entrevista clicando aqui

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload