© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

September 27, 2015

Brasil

 

1. Ministério da Saúde (DDAHV) - Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos (2015) - clique aqui

 

2. Ministério da Saúde (DDAHV) - Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Profilaxia Antirretroviral Pós-Exposição de Risco à Infecção pelo HIV (2015) - clique aqui

 

 

Internacional

 

1. EUA - Antiretroviral Treatment of Adult HIV Infection: Recommendations of the International Antiviral Society - USA Panel (atualizações de novas versões na mesma página) - clique aqui

 

2. Europa - The EACS HIV Treatment Guidelines (atualizações de novas versões na mesma página )- Clique aqui

 

3. Organização Mundial de Saúde - Guidelines: HIV (atualizações de novas versões na mesma págnia) - clique aqui

September 26, 2015

Matéria em colaboração com o Portal UOL, publicada em 21/09/2015.

 

Cavalos, cães e gatos, aves domésticas, roedores e, principalmente, capivaras podem carregar o artrópode infectado, que pode transmitir diversas doenças, entre elas a Febre Maculosa Brasileira (FMB), uma doença grave causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, que pode matar se não for diagnosticada com rapidez e tratada com eficiência. No Brasil, metade das pessoas contaminadas morre.

 

Outras doenças bacterianas transmitidas são a Doença de Lyme (Borrelioses), a Babesiose e a Erliquiose. Algumas Arboviroses, doenças causadas por vírus, também podem ser passadas pelo carrapato, explica o Infectologista Alexandre Naime Barbosa, da Faculdade de Medicina da Unesp, em Botucatu (SP).

 

"A forma jovem do carrapato é menor que a cabeça de um fósforo, o que dificulta a percepção. Às vezes ele está na nuca, atrás da orelha, nos pelos do tórax e até na bolsa escrotal. A inspeção no corpo deve ser criteriosa depois de ficar em uma ár...

September 26, 2015

Brasil

 

1. Ministério da Saúde (DDAHV) - Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite B e Coinfecções (2010) - clique aqui

 

 

Internacional

 

1. EUA - American Association for the Study of Liver Diseases (AASLD) - Chronic Hepatitis B: Update (2009) - clique aqui

 

2. Europa - European Association for the Study of Liver Diseases (EASLD) - Management of Chronic Hepatitis B Virus Infection (2012) - Clique aqui

September 25, 2015

Brasil

 

1. Ministério da Saúde (DDAHV) - Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções (2015) - clique aqui

 

 

Internacional

 

1. EUA - American Association for the Study of Liver Diseases (AASLD) and the Infectious Diseases Society of America (IDSA) in collaboration with the International Antiviral Society–USA (IAS–USA) - Hepatitis C Guidance (atualizações constantes  de novas versões (2015) - clique aqui

 

2. Europa - European Association for the Study of Liver Diseases (EASLD) - Recommendations on Treatment of Hepatitis C (2015) - Clique aqui

September 25, 2015

Treinamento para Os Médicos - Secretaria Municipal de Saúde

 

Setembro de 2015 - Botucatu - SP - Brasil

 

Acesse em: http://pt.slideshare.net/spitalex/hepatite-c-epidemiologia-triagem-e-manejo-para-mdicos

September 21, 2015

Matéria em colaboração com a Sociedade Paulista de Infectologia, publicada aqui.

 

O panorama da epidemia do HIV/Aids no Brasil mostra um aumento preocupante do número de casos novos/ano em alguns segmentos específicos, apesar da relativa estabilidade (cerca de 40 mil casos/ano) na população em geral. Na faixa etária entre 15 a 24 anos, a incidência aumentou em mais de 50% desde 2006.

 

É importante destacar que não existem mais “grupos de risco”, pois a infecção pelo HIV pode acontecer em qualquer segmento, independente da idade, orientação sexual, classe financeira ou outra característica pessoal. Porém há uma concentração em algumas populações mais vulneráveis, principalmente entre os mais jovens, talvez pela falta de percepção de risco inerente da idade, e pelo fato de não terem vivenciado os anos mais trágicos da epidemia da aids. Recente pesquisa que investigou hábitos e atitudes dos brasileiros mostrou que 94% das pessoas concordam que a camisinha é a melhor forma de prevenção ao HI...

September 14, 2015

Palestra para a SIPAT 2015 do Grupo Centroflora

 

Veja a apresentação clicando aqui.

 

 

September 11, 2015

 

Matéria em Colaboração com o Jornal Diário da Serra (Botucatu/SP) publicada em 21/07/2015

Link para o arquivo: clique aqui

 

CUIDADOS SIMPLES PODEM EVITAR A CONTAMINAÇÃO PELOS VÍRUS DA HEPATITE 


As hepatites virais são as mais comuns e as que mais geram preocupação na comunidade médica. Segundo o médico infectologista e professor da FMB/Unesp, Alexandre Naime Barbosa, são atitudes comuns que evitam o contágio. "As principais formas de se evitar a contaminação pelas hepatites virais são: uso do preservativo sexual (camisinha), evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal (escova de dente, tesoura e alicate de unha, brincos, pircieng), evitar o compartilhamento de seringas e agulhas, nunca usar seringas e agulhas não descartáveis, além de cuidados com o tipo de água e alimentos ingeridos", observa.
 

 

 

COMO OCORRE O CONTÁGIO? 


Os vírus da hepatite podem ser classificados em A, B, C, D e E. As hepatites do tipo A e do tipo E são transmitidas por consumo de alimentos ou água contamina...

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload