© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

 

Entrevista ao Podcast UNESP sobre o Dia Mundial de Luta contra a Aids em 01/12/2015.

 

Assista clicando aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Matéria em colaboração com a Assessoria de Imprensa do HC Unesp, publicada em 01/12/2015

 

Link original: clique aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Falta de informação, falha nas políticas públicas e preconceito. Esses são alguns pontos que permeiam a acquired immunodeficiency syndrome, ou simplesmente Aids. Conhecida como Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, a doença foi diagnosticada pela primeira vez no Brasil em 1982, segundo o Ministério da Saúde. Hoje, são contabilizados mais de 700 mil casos da doença. Em 1996, Sistema Único de Saúde (SUS), começou a fornecer tratamento gratuito para pessoas que vivem com Aids, um pioneirismo entre os primeiros países de baixa e média renda.


Segundo o professor e médico infectologista da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e membro titular da International Aids Society, Alexandre Naime Barbosa, atualmente o Serviço de Ambulatórios Especializados em Infectologia “Domingos Alves Meira” (SAEI-DAM), que tem vínculos assistenciais junto ao Hospital das Clín...

 

 

 

 

 

 

 

Entrevista para o jornal Diário da Serra em 01/12/2015

 

Leia na integra, e faça o download aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje, 1º de dezembro, é o dia Mundial de Luta con­tra a Aids. A data foi insti­tuída em outubro de 1987, na Assembleia Mundial da Saúde, com apoio da Orga­nização das Nações Unidas – ONU. A ideia é reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compre­ensão com as pessoas in­fectadas pelo HIV/Aids. No Brasil, a data passou a ser adotada, a partir de 1988, por uma portaria assinada pelo Ministério da Saúde.

 

Segundo o médico in­fectologista, Alexandre Naime Barbosa, a cada duas horas, três pessoas morrem em decorrência da infecção pelo HIV no Bra­sil, totalizando mais de 12 mil óbitos por ano.

 

“Apesar de todos os avanços cien­tíficos nesses últimos 34 anos de luta contra a Aids, ainda temos um número alto de óbitos. A imensa maioria dessa tragédia cotidiana é composta por indivíduos jovens, que de­veriam estar com a saúde em pleno funcionamento, atuando na força de tra...

 

 

 

 

 

 

Entevista ao jornal Diário da Serra publicado em 02/12/0215

 

Download do pfd da matéria: clique aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Ministério da Saúde confirmou na última segunda-feira (30) que o número de casos de microcefalia, uma mal-formação congênita cerebral, aumentou para 1.248 no país e já atinge 13 Estados. Os dados fazem parte do novo boletim epidemiológico, que apresenta dados até a última sexta-feira, 28 de novembro. 

 

De acordo com o boletim, Pernambuco continua a frente no número de casos de microcefalia, com 646. O Estado declarou no último domingo dois decretos de emergência – um para Pernambuco e outro para Recife – para aumentar o combate ao Aedes aegypti.
 
Em seguida, em número de casos de microcefalia, estão a Paraíba (248), Rio Grande do Norte (79), Sergipe (77), Alagoas (59), Bahia (37), Piauí (36), Ceará (25), Rio de Janeiro (13), Tocantins (12) Maranhão (12), Goiás (2), Mato Grosso do Sul (1) e Distrito Federal (1). A nota também afirma que subiu para sete o número de recé...

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload

Tags