© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

Entrevista concedida ao Portal UOL em 31/Mar/2017

Leia abaixo, ou em: https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/03/31/sites-e-apps-ouvem-seus-sintomas-e-falam-sobre-sua-doenca-pode-arnaldo.htm?cmpid=copiaecola

Quando temos uma dúvida já é instintivo usar a internet para sanar a curiosidade. Se o assunto for saúde, a reação não é diferente. Jogamos nossos sintomas ou diagnósticos e procuramos em sites de busca por mais informações. Por mais que saibamos que nem tudo que está online é confiável, é inevitável recorrer à internet nessas horas.


"A internet é uma realidade indiscutível, o paciente vai usar. Médicos não podem satanizar nem endeusar o mundo online, a questão é filtrar o material e orientar as buscas José Eduardo de Siqueira, professor de bioética e coordenador de medicina da PUC-Londrina.

O CFM (Conselho Federal de Medicina) não proíbe aplicativos ou mesmo sites de darem diagnósticos ou tratamentos online. O órgão ainda estuda a relação entre a medicina e a...

Entrevista ao Jornal Leia Notícias em 19/Mar/2017

Acesse o link original aqui

Uma mulher de 42 anos foi atendida pelo Serviço de Infectologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, neste sábado, 18, após ter sido picada por um escorpião.

Segundo informações, ela estava em sua residência, no bairro Demétria, e foi picada pelo animal na região da barriga. O escorpião, denominado de Tityus bahiensis, estava dentro da blusa que ela estava vestindo.

No HCFMB ela foi atendida pelo Dr. Alexandre Naime Barbosa, chefe do serviço de Infectologia do Hospital. “Ela teve apenas dor. Fiz um bloqueio com anestésicos e analgésicos e a dor foi controlada. Não houve intoxicação porque ela é uma adulta saudável e o veneno de um escorpião é em pequena quantidade para adultos, mas em crianças e idosos pode ser fatal”, explicou o médico.

O que chama a atenção é que esta mesma mulher, picada pelo escorpião, há uma semana foi atacada por um enxame de abelhas durante a realização de uma tril...

Entrevista ao Jornal Acontece Botucatu, publicada em 19/Mar/2017

Link para a matéria original aqui

Mulher é picada por escorpião na Demétria; animal estava na blusa que ela vestiu


Um caso que serve de alerta foi registrado no Hospital das Clínicas de Botucatu no sábado, dia 18. Uma mulher, de 42 anos foi picada por um escorpião marrom depois que vestiu uma blusa, na casa onde mora, no Bairro Rural Demétria, em Botucatu.

A vítima capturou o animal e foi até o Hospital das Clínicas, onde foi atendida pelo médico infectologista Alexandre Naime Barbosa. “A picada foi na região da barriga e a mulher reclamava de muitas dores no local da ferroada. Ela vestiu uma blusa e provavelmente o animal estava no tecido”, disse Doutor Alexandre ao Acontece Botucatu.

“No caso dela, realizamos um bloqueio de anestésicos no local na picada, além de analgésicos potentes. Mas a toxicidade é baixa, porque a quantidade de veneno inoculada em uma pessoa adulta é pequena. Mas, se fosse uma criança, ou idoso, essa p...

Matéria no Bom Brasil da TV Globo que foi ao ar em 17/Mar/2017 sobre o Estudo APIS

Assista em https://youtu.be/7mGoWH8rL9w

Ou assista no link da Globo Play: https://globoplay.globo.com/v/5731433/

O dia 19 de agosto de 2016 marcou a vida da técnica agrícola Camila Aguillar Prezotto, de 32 anos, moradora de Avaré, interior de São Paulo. Quando ela e o marido, o engenheiro agrônomo Roberto Giraldi Peres, tentavam resgatar uma vaca caída em uma vala, na fazenda do casal, eles foram atacados por um enxame de abelhas africanizadas.

Camila recebeu cerca de 400 ferroadas e se tornou a primeira pessoa no mundo a receber um antídoto para o veneno dessas abelhas. O soro havia sido desenvolvido pelos pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Botucatu, e eles estavam à espera de vítimas das abelhas para iniciar os testes do antídoto em seres humanos. Chegaram dois de uma vez: depois de Camila, seu marido também recebeu o soro.

De lá para cá, outros quatro pacientes foram submetidos ao...

Matéria do programa Nosso Campo da TV Globo afiliada TV TEM que foi ao ar dia 12/Mar/2017.

Assista aqui: https://youtu.be/tfpX0pwuLrk

Roberto Giraldi Peres e Camila Aguilar Peres moram em um sítio em Avaré (SP) e passaram por um grande susto no ano passado. Quando o casal caminhava no pasto, foi surpreendido por um enxame. Camila tomou mais de 400 picadas, precisou ser levada ao hospital e ainda tem cicatrizes espalhadas pelo corpo.

Para combater o veneno das abelhas, pesquisadores da Unesp de Botucatu (SP) e do Instituto Vital Brasil desenvolveram um soro antiapílico. Ele é feito com o próprio veneno da abelha. Um recipiente é colocado embaixo da colmeia e uma pequena descarga elétrica é dada, contraindo a musculatura do inseto, que assim, libera parte do veneno. 

O soro é indicado para casos graves, quando a pessoa recebe mais de cinco picadas. Em situações assim, o volume de veneno é tão grande que pode destruir os músculos e parar os rins. O novo antídoto age bloqueando o efeito do ven...

Recepção Unificada Calouros 2017 - UNESP - Campus de Botucatu

Acesse a aula aqui

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload