© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

Serviço de Reabilitação Lucy Montoro - FAMESP

Jun/2019 - Botucatu - SP - Brasil

Clique aqui para acessar

Leia a entrevista abaixo, ou no link aqui.

A multidão de foliões durante o Carnaval traz alguns riscos para saúde que vão além dos ligados ao beijo na boca. Se você não tomar alguns cuidados pode pegar conjuntivite, hepatite e leptospirose, por exemplo.


"Quanto maior o número de pessoas reunida, maiores os riscos de transmissões das mais variadas doenças", afirma Ralcyon Teixeira, médico infectologista e supervisor do pronto-socorro do Instituto Emílio Ribas. Teixeira diz ser comum o aumento no número de pessoas que procuram atendimento médico no pós Carnaval.


"Os riscos tendem a ser ainda maiores em ambientes fechados", acrescenta Alexandre Naime Barbosa, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia e professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista). Veja abaixo algumas das doenças que são favorecidas pela aglomeração de pessoas e saiba como evitá-las:   

1. Transmitidas por gotículas


A gripe e o resfriado são as principais doenças desse tipo de transmissão, mas não as únicas....

February 18, 2019

Aula para a Recepção Unificada Calouros 2019UNESP - Campus de Botucatu

Acesse clicando -> aqui

Semana de Prevenção de Acidentes - FAMESP/Tupã
Dez/2018

Clique aqui para acessar

November 24, 2018

Programa de Educação em Saúde - Body Express Encontros

Nov/2018 - Botucatu - SP - Brasil

Clique aqui para acessar

Entrevista para a BBC Brasil em 28/Jul/2018 - Mariana Lenharo - Nova York para a BBC News Brasil

Existe um consenso entre os infectologistas de que as doenças sexualmente transmissíveis estão em alta na população jovem do Brasil. "Esta última geração, que começou a vida sexual depois de 2010, tem um modo diferente de encarar as DSTs", diz Alexandre Naime Barbosa, professor de Infectologia da Unesp. A noção de que a Aids se tornou uma doença crônica e tratável fez a adesão à camisinha diminuir muito, segundo ele. No caso do HIV, o número de novos casos anuais subiu quase 140% entre 2007 e 2017 na população em geral: de 6.862 a 16.371, de acordo com o mais recente Boletim Epidemiológico de HIV/Aids lançado pelo Ministério da Saúde. Entre jovens de 15 a 19 anos do sexo masculino, o aumento chegou a 590%, segundo o mesmo documento.

No mesmo período, o número de novos casos de sífilis aumentou em 133% entre mulheres grávidas, segundo dados do Ministério da Saúde. O aumento de sífilis congênit...

Casos de sífilis congênita sobem 8,7% no Distrito Federal em um ano


Matéria publicada no jornal Correio Braziliense em 20/Jun/2018, leia no link ou abaixo:


Link: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/07/20/interna_cidadesdf,696329/casos-de-sifilis-congenita-sobem-8-7-no-distrito-federal.shtml


Uma doença de prevenção fácil, mas que pode ter consequências desastrosas voltou a fazer parte do cotidiano dos brasileiros. No Distrito Federal, em 2017, houve um aumento de 8,7% nos casos de sífilis congênita, – a que passa da mãe para o bebê –, em relação ao ano anterior. São 3,7 novos casos por dia, de acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Os dados alarmantes elevam a sífilis ao patamar de epidemia no país. Em todo o Brasil, a incidência da doença subiu 5.000%, de 2010 a 2015, segundo dados do Ministério da Saúde. Especialistas acreditam que os números não param de crescer porque as pessoas perderam o medo de contrair doenças sexualmente transmissíveis,...

February 14, 2018

Entrevista ao Portal UOL em 14/Fev/2018

Leia abaixo, ou no link aqui.

Se você esqueceu a camisinha na hora do sexo casual e, agora, está preocupada (o) com as consequências deste vacilo carnavalesco, ainda é possível se prevenir tanto contra uma indesejável gravidez como contra a contaminação do vírus HIV. Mas é preciso agir rápido.


"Todos são passíveis a erros, portanto não se envergonhe. O importante é buscar uma unidade de saúde para o tratamento pós-exposição em até 72 horas", afirma Alexandre Naime Barbosa, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia e professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista), ao se referir ao PEP (Profilaxia Pós-Exposição ao HIV).

Uma medida de prevenção à infecção pelo vírus HIV que está disponível
gratuitamente na rede pública de saúde com índice de sucesso de 98%, segundo Ivone de Paula, gerente da área de prevenção do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. 
"Isso é claro se o tratamento f...

February 14, 2018

Entrevista à Rádio Clube FM e Portal Leia Notícias de Botucatu em 09/Fev/2018

Ouça o bate-papo completo no YouTube aqui

Leia a entrevista abaixo, ou direto no link aqui

Professor da Unesp alerta para o aumento dos riscos de doenças gástricas, respiratórias e sexuais durante o Carnaval

O professor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Dr. Alexan­dre Naime Barbosa, Di­retor Clínico do Serviço de Ambulatórios Especia­lizados em Infectologia “Domingos Alves Meira” (SAEI-DAM) da Famesp, alerta os foliões para os riscos de contaminações.

Dr. Alexandre Naime afirma que dá para se di­vertir reduzindo os riscos de doenças ‘aéreas’, como: gripes, coqueluche e rubé­ola, que são transmitidas em gotículas de saliva. Já doenças comuns no pe­ríodo, como: hepatites, gastroenterites, herpes, entre outras, são através de contato com o doente e por contato íntimo.

“No caso de HIV, a orientação é sempre usar preservativo em ato sexual com parcei­ros casuais e, na eventuali­dade de o preservativo se...

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload

Tags