© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

November 27, 2019

Aviso: Página não oficial do Serviço de Infectologia UNESP - FMB/HC Botucatu, as informações aqui contidas são de responsabilidade do autor, e têm como objetivo fornecer uma visão mais completa e atualizada desse serviço.

Apresentação Geral

O Serviço de Infectologia UNESP - Faculdade de Medicina e do HC UNESP (Botucatu/SP) foi iniciado em 1968, e tem por objetivo prestar assistência médica na área de Infectologia nos serviços do Complexo Médico-Hospitalar da UNESP - FMB. Em 2018 a Infectologia UNESP completou 50 anos, clique aqui para conferir a comemoração.


Com atuação em diversas subáreas da especialidade, os profissionais envolvidos (médicos docentes ou médicos contratados) tem também possibilidade de interagirem com o ensino, pesquisa e extensão..

Para maiores informações e contato com o Serviço de Infectologia UNESP - FMB/HC Botucatu, use:

Fone: (14) 3811-6212 ou E-Mail: doencastropicaisfmb@gmail.com

A. Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP

Referência brasileira e internac...

November 20, 2019

Entrevista ao Portal UFC Brasil em 20/11/2019, link original aqui, ou leia abaixo: 

Bactéria que Cigano teve e o tirou do UFC Moscou pode amputar e até matar, e todo mundo que frequenta uma academia corre risco. Segundo o infectologista Alexandre Naime Barbosa, higienização constante é a solução.

Há quase um mês, quase na reta final de sua preparação para a luta principal do UFC Moscou, o lutador Junior Cigano percebeu que, depois de dar chutes em um saco de pancada, havia feito um machucado em sua perna. Ele parecia inofensivo. Cigano tratou com gelo e anti-inflamatório. Mas, três dias depois, o ferimento não havia melhorado.

Pelo contrário: estava mais aberto e com vermelhidão. O atleta também sentia a pele quente ao redor do machucado. Resolveu procurar um médico.Resultado: Cigano entrou no hospital e não saiu mais de lá por mais de uma semana. O ferimento estava infectado com colônias de duas bactérias – uma delas, o estafilococo, pode ter graves consequências e levar à morte.

Os estaf...

September 17, 2019

Entrevista ao Portal Botucatu OnLine em 17/09/2019, link original aqui, ou leia abaixo: 

A Infectologia HC FMB UNESP teve participação de destaque no último Congresso Brasileiro de Infectologia (Infecto 2019), que aconteceu na semana passada, entre 10 a 13 de setembro em Belém do Pará. O evento, que é o mais importante do Brasil na área da Infectologia reuniu mais de 2.300 participantes do Brasil e do exterior, recorde absoluto dentro da especialidade.


A Infectologia HC FMB UNESP esteve representada por Docentes, Médicos Contratados, Residentes, Alunos de PG e Graduação, sendo responsável no total por várias palestras e apresentações orais de trabalhos científicos, sete pôsteres e mais organização de cursos, aplicação de prova de título de especialista, entrevistas na mídia, entre outros.


O Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa (Infectologia HC FMB UNESP) um dos organizadores do Congresso Brasileiro de Infectologia proferiu cinco palestras e avalia a participação do serviço destacando o emp...

Palestra no Winter School on Tropical Medicine 2019

Jul/2019 - Botucatu - SP - Brasil.

Acesse os Slides clicando aqui

Serviço de Reabilitação Lucy Montoro - FAMESP

Jun/2019 - Botucatu - SP - Brasil

Clique aqui para acessar

Entrevista à TV Globo sobre como se prevenir da Raiva exibida em 31/Mai/2019. 

Assista a entrevista em http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/tem-noticias-2edicao/videos/t/edicoes/v/professora-leva-morcego-em-sala-de-aula-e-criancas-precisam-ser-vacinadas-contra-raiva/7659591/

Segundo o médico infectologista Alexandre Naime Barbosa, Professor da Unesp, a terapia de associação de soro heterólogo junto com a vacina antirrábica foi a prescrita por ser a indicada para qualquer tipo de pessoa que tenha tido contato com o morcego. Segundo ele, contato com o esse animal é sempre perigoso.

“Todo morcego é, por via de regra, até prova em contrário, portador do vírus da raiva, e todo contato com o animal é considerado como potencialmente transmissor”, explica o infectologista.

Leia a matéria completa aqui: https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2019/06/01/mae-se-assusta-ao-saber-que-filha-pegou-em-morcego-morto-durante-aula-fiquei-desesperada.ghtml

Entrevista ao Portal BBC Brasil publicada em 28/Mai/2019. Acesse a matéria original aqui, ou leia abaixo.  

A cada início de mês, Juliano*, de 32 anos, avalia em qual unidade de saúde de São Paulo poderá fazer exames para checar se foi infectado pelo vírus HIV. "Eu dou a volta pela cidade à procura de um posto de saúde em que não me conheçam", diz. Os resultados negativos dos testes trazem alívio ao rapaz por alguns dias, mas ele logo volta a se preocupar.

Fernanda*, de 19 anos, vai com frequência ao ginecologista. Diariamente, ela pensa sobre a possibilidade de ter contraído alguma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), mesmo sem vivenciar situações em que pode ter se exposto ao risco. "Somente me acalmo quando faço exames e vejo que deu negativo para todas as ISTs", diz. Maria*, de 25, ficou preocupada após a camisinha se romper – parou de fazer sexo e, desde então, se submete a testes frequentes.


Juliano, Fernanda e Maria fazem parte de um grupo de pessoas que tem crescido nos últi...

Entrevista ao Portal UOL Viva Bem publicada em 01/Mai/2019. Acesse a matéria original aqui, ou leia abaixo.  

A cantora Beth Carvalho, de 72 anos, morreu na tarde de terça-feira (30), vítima de uma infecção generalizada, ou sepse, de acordo com uma nota divulgada pelo Hospital PróCardíaco, onde ela estava internada, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

O Brasil tem uma taxa extremamente alta de morte por sepse em UTIs, superando até mortes por acidente vascular cerebral e infarto nessas unidades. Segundo levantamento organizado por pesquisadores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e do Instituto Latino Americano de Sepse, a cada ano morrem mais de 230 mil pacientes adultos nas UTIs em decorrência da doença.

O que é?
A sepse é uma resposta frente a uma infecção, que pode ser desencadeada por bactérias, fungos ou vírus que caíram na corrente sanguínea. Normalmente, é uma predisposição genética que faz com que a pessoa desenvolva essa resposta acentuada para combater a infecção. A doen...

A Infectologia é a ciência que estuda a relação entre o Ser Humano, os Agentes Infecciosos e o Meio Ambiente. Qualquer pequeno desarranjo em um desses componentes pode levar a sérias implicações na saúde individual e coletiva. Grandes epidemias que ficaram marcadas nas história mostram como esse desbalanço pode ser catastrófico. A Peste Negra na Idade Média, matou 1/3 da população mundial na época, a Gripe Espanhola vitimou 100 milhões de pessoas em 1918, e mais recentemente a Aids na década de 1980 mudou profundamente hábitos e costumes da sociedade por atingir fatalmente mais de 40 milhões de pessoas. Não somente em epidemias, mas no cotidiano das pessoas a Infectologia está presente desde o simples resfriado comum, passando pelas infecções urinárias, de pele e de intestino, entre tantas outras.

Para que o Infectologista possa dominar todos esses aspectos, Seis Pilares são fundamentais:

1. Conhecimento sobre o Inimigo: Bactérias, Vírus, Fungos, Protozoários, Parasitas, Príons... São mu...

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload

Tags