© 2015 por Spitalex. Criado com Wix.com

  • Wix Facebook page
  • YouTube clássico
  • Slideshare.jpeg
  • LinkedIn App Ícone

February 11, 2019

Entrevista para o UOL Viva Bem em 05 de fevereiro de 2019 (link) 

Diarreia

Quase todo mundo já passou pela situação e sabe o quanto é desagradável: a vontade é incontrolável e não dá coragem de ficar longe de um banheiro. Embora existam inúmeras doenças ou situações capazes de provocar diarreia, a maior parte dos quadros agudos tem origem infecciosa, ou seja, é uma reação do organismo contra bactérias, vírus, parasitas, toxinas. Os agentes podem ser transmitidos por bebida ou comida contaminada, ou ainda de pessoa para pessoa, por hábitos inadequados de higiene.

Sintomas


Para ser definido como diarreia, o quadro deve incluir:

Fezes amolecidas ou líquidas;

Necessidade de evacuar mais de três vezes ao dia.

Também podem estar presentes:

Dor abdominal em cólica;

Suor frio;

Febre;

Náuseas e vômitos;

Sensação de peso no abdômen;

Sensação de esvaziamento incompleto do intestino;

Presença de sangue e/ou pus nas fezes


Tipos de diarreia


O problema pode ser:

Agudo: durar apenas de um a 14 dias;

Crônico: quand...

Entrevista para o UOL Viva Bem em 29 de janeiro de 2019. 

Acesse em https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2019/01/29/pneumonia-tem-como-sintomas-febre-tosse-e-dificuldade-para-respirar.htm ou leia abaixo.

Pneumonia é o termo que se refere a toda inflamação aguda nos pulmões. Na maioria das vezes essa doença é causada por infecções provocadas por vírus ou bactérias. Mas fungos, outros organismos e substâncias também podem ser os responsáveis por essa condição, que pode levar à morte se não tratada a tempo, especialmente pacientes mais vulneráveis, como crianças pequenas e idosos. As principais estruturas envolvidas na pneumonia são os alvéolos, pequenos sacos de ar onde acontecem as trocas gasosas - eles se inflamam e podem ficar cheios de pus, causando febre, tosse e dificuldade para respirar. Os brônquios (que ligam os alvéolos à traqueia) também podem ser afetados.

Incidência
A pneumonia é a doença que mais mata crianças com até cinco anos no mundo. Está entre as doenças que mais...

Palestra proferida no Rotary Club de Botucatu

Ago/2018 - Botucatu - SP - Brasil 

Clique aqui para acessar

Palestra proferida no 20º Encontro Nacional de Biomedicina

Out/2017 - Botucatu - SP - Brasil 

Acesse clicando aqui

Entrevista sobre o surto de Caxumba em 2016 ao Jornal Diário da Serra em 01/Jul/2016.

Faça o download aqui, ou leia abaixo.

Enquanto no ano de 2015 foram notificados 671 casos de caxumba no estado de São Paulo, em 2016, só entre abril e ju­nho, já são 842 pessoas infectadas. As informa­ções são do infectologis­ta Alexandre Naime Bar­bosa, docente da Unesp. “Comparativamente, o ano todo de 2014 somou apenas 118 casos em São Paulo”, coloca o professor, que também é membro da Diretoria da Socieda­de Paulista de Infectolo­gia e membro titular da Sociedade Brasileira da especialidade. “Desde o ano passado o número de casos de caxumba vem aumentando importante­mente em todo o Brasil, com destaque para o es­tado de São Paulo”, alerta.

De acordo com ele, em nossa região “houve um discreto aumento no nú­mero de casos suspeitos, mas não a intensidade verificada na região de Campinas e na capital”, onde estão concentradas as principais notificações do estado sobre a doença.

O infectologista desta­ca...

Entrevista ao Jornal Diário da Serra de Botucatu/SP em 11/10/2015

 

Faça o download do pdf da matéria aqui.

 

Segundo dados do Mi­nistério da Saúde, a in­cidência de coqueluche aumentou 10 vezes em apenas três anos, casos de caxumba têm se tornado mais frequentes em Esta­dos como São Paulo e Rio e um surto de sarampo acaba de atingir o Nordes­te - o Brasil estava há 12 anos livre da transmissão interna do vírus. O ressurgimento de doenças contagiosas que estavam praticamente erradicadas do país vem preocupando médicos e autoridades sa­nitárias. O descaso com a vacinação é um dos prin­cipais fatores para este cenário. Muitas vezes, as vacinas são aplicadas em mais de uma dose e a população não retorna à unidade de saúde para tomar todas as doses ne­cessárias, sendo assim a proteção não é efetiva.

 

O médico infectologis­ta, Dr. Alexandre Naime Barbosa da FMB/Unesp, afirma que o risco do re­aparecimento de doenças que haviam sido controla­das por vacinação existe sim no Brasil, e ele é de­corr...

Campanha de Vacinação contra o HPV 2015 - Meninas entre 09 a 11 anos

 

Assista em: http://youtu.be/b1RKZ98By4c

 

Em entrevista ao PodCast Unesp, o Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa discute a importância da vacinação. Entenda os beneficios e os riscos dessa estratégia.

 

Please reload

Posts Mais Lidos
Please reload

Arquivos
Please reload

Tags