• Dr. Alexandre Naime Barbosa

Residência Médica em Infectologia - UNESP


Aviso: Página não oficial do Programa de Residência Médica em Infectologia da UNESP, as informações aqui contidas são de responsabilidade do autor, e têm como objetivo fornecer uma visão mais completa e atualizada desse programa. Para acessar o site oficial, entre em www.fmb.unesp.br.


Apresentação Geral


O Programa de Residência Médica (PRM) em Infectologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP (FMB UNESP) é oferecido desde 1978, tendo formado quase uma centena de profissionais desde então. Credenciado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM - MEC), oferece 3 (três) vagas e tem a duração de 3 três anos.

O objetivo desse programa é formar médicos especialistas altamente capacitados em Infectologia. Para tanto, impõe-se o estudo das manifestações clínicas, condutas diagnóstica e terapêutica de doenças infecciosas e parasitárias. A compreensão desses fatos não é possível, porém, sem a inclusão da etiopatogenia, da epidemiologia, da fisiopatologia e da profilaxia dessas doenças.


O processo seletivo para as vagas disponíveis acontece anualmente através de concurso realizado pela Fundação Vunesp, acesse os editais disponíveis em www.vunesp.com.br.


O Edital de 2021 está disponível em bit.ly/3lWeqA9


Para maiores informações e contato com o PRM Infectologia UNESP, use:


Fone: (14) 3811-6212 ou e-mail: dep.diddir.fmb@unesp.br



Estrutura do Ensino, Assistência e Pesquisa


O PRM em Infectologia da UNESP realiza integralmente a formação do médico residente em unidades próprias e gerenciadas pelos preceptores do programa. Conheça as unidades e serviços da Infectologia UNESP:

A. Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP


Referência brasileira e internacional em ensino, pesquisa e extensão, a FMB UNESP oferece cursos de graduação em Medicina e Enfermagem, 39 programas de residência médica, 52 de aprimoramento profissional e 12 Programas de Pós-graduação. Na graduação, o curso de Medicina oferece 90 vagas e, o de Enfermagem, 30. Juntos, reúnem 299 docentes e 255 servidores.


Implantada em 1963 como Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB) e incorporada à UNESP em 1976, seus cursos possuem uma sólida base científica, postura ética e uma forte visão humanística e de comprometimento com a cidadania. Seu objetivo é formar profissionais com senso crítico, conscientes de seu papel na sociedade.


Os Programas de Pós-Graduação lato sensu compreendem as áreas de Residência Médica, Especialização, Aprimoramento Profissional e Residência Multiprofissional. A Residência Médica conta com 419 residentes e a Residência Multiprofissional conta com 18 residentes. O Programa de Aprimoramento Profissional, destinado à formação de profissionais não-médicos, possui 80 aprimorandos. A FMB UNESP ainda oferece na modalidade Pós-graduação stricto sensu 12 programas de Pós-Graduação nas modalidades Acadêmico ou Profissional.


Os Residentes da Infectologia estão ligados ao Departamento de Infectologia, Dermatologia, Diagnóstico por Imagem e Radioterapia (DIDDIR) da FMB UNESP. Além do programa em Infectologia, esse departamento também reúne as residências médicas em Dermatolo e Radiologia.




B. Hospital das Clínicas (HC UNESP)


Hospital universitário que iniciou suas atividades em 1967, é uma autarquia da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo (SES-SP), mantendo vínculos nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão com a FMB UNESP.


Conta com cerca de 500 leitos de internação, em enfermarias e unidades específicas. Tem amplo corpo clínico diversificado nas mais diferentes especialidades. No HC UNESP, o residente em Infectologia terá atuação nos seguintes palcos de ensino e treinamento:

B1. Enfermaria de Infectologia: unidade de internação que conta com 16 leitos, sendo 05 quartos de isolamento, e desses, 02 com pressão negativa.


B2. Pronto-Socorro: unidade de atendimento de urgência e emergência, que conta com estrutura física e corpo clínico especializados no suporte avançado de vida.


B3. Bloco de Ambulatórios: unidade de atendimento ambulatorial multidisciplinar.


B4. Comissão de Controle de Infecção Relacionada à Saúde (CCIRAS): responsável pela vigilância e manejo das infecções hospitalares, e do controle de antimicrobianos.


B5. Serviço de Controle e Prevenção de Infecções em Pacientes Imunossuprimidos (SI): responsável pelo manejo dos pacientes imunossuprimidos em risco de infecções.


B6. Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NVE): responsável pela vigilância epidemiológica


B7. Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais (CRIE): responsável pela vigilância epidemiológica e manejo da imunização avançada.


C. Serviço de Ambulatórios Especializados de Infectologia “Domingos Alves Meira” (SAEI-DAM)


Criado com o objetivo de prestar assistência de excelência à pessoas vivendo com HIV/Aids, Hepatite B, Hepatite C e HTLV, o SAEI-DAM iniciou suas atividade em 2004, com o espírito de atendimento humanizado, multiprofissional e multidisciplinar. É unidade administrada pela FAMESP, com vínculos de assistência, ensino e pesquisa com a FMB UNESP e o HC UNESP.




D. Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (CEVAP)


O CEVAP é um Centro Interunidade de Unidade Complementar da UNESP, prevista no estudo da Universidade, criado pelo Conselho Universitário em 27 de maio de 1993. Atua como instituição de desenvolvimento e integração dentro da estrutura multi campi, realizando a articulação entre o Ensino, a Pesquisa, a Capacitação de Recursos Humanos e a Extensão Universitária sobre sua temática de atuação.


Visando a formação e capacitação de profissionais o CEVAP oferece estágio para alunos de graduação e residência profissional nos diferentes departamentos envolvidos com o centro, cursos presenciais ou a distância de Extensão universitária. Aprimoramento, Especialização e Pós-Graduação, curso sobre "Acidentes com animais peçonhentos" para os alunos de graduação dos cursos de medicina, Enfermagem e Medicina Veterinária e Programa de Aprimoramento Profissional em Animais Peçonhentos em parceria com o DDTDI FMB UNESP.




Atividades Práticas do PRM em Infectologia UNESP


Durante os três anos do programa, o residente terá uma intensa grade de atividades na rotina, e também em plantões na especialidade. A carga horária semanal, respeitando a legislação vigente, é de 60 horas semanais. Conheça as atividades desenvolvidas durante o PRM em Infectologia UNESP:


A. Ambulatórios de Infectologia:


A1. Acidentes por Animais Peçonhentos (SAEI-DAM): 01 ambulatório bimensal.


A2. Chagas (HC UNESP): 01 ambulatório semanal com cerca de 300 pacientes em seguimento.


A3. Geral (HC UNESP): 01 ambulatório semanal que atende pacientes com tuberculose, sífilis e outras patologias da área.


A4. Hepatite B (SAEI-DAM): 01 ambulatório semanal com cerca de 250 pacientes em seguimento.


A5. Hepatite C (SAI-DAM): 01 ambulatório semanal com cerca de 400 pacientes em seguimento.


A6. HIV/Aids (SAEI-DAM): 05 ambulatórios semanais com cerca de 1.000 pacientes em seguimento.


A7. HTLV (SAEI-DAM): 01 ambulatório mensal com cerca de 20 pacientes em seguimento.


A8. Imunossuprimidos (Transplante de Fígado): 01 ambulatório semanal.


A9. Imunossuprimidos (Transplante de Rim): 01 ambulatório semanal.


A10. Micologia Clínica (HC UNESP): 01 ambulatório semanal, que atende pacientes com Paracoccidioidomicose, Criptococose, Histoplasmose, Aspergilose entre outras.


A11. Micobacterioses Atípicas (HC UNESP): 01 ambulatório bimensal


A12. Nutrição em HIV/Aids (SAEI-DAM): 01 ambulatório semanal.


A13. Nutrição em Infectologia Geral (HC UNESP): 01 ambulatório semanal.


A14. Risco Biológico (SAEI-DAM): 01 ambulatório semanal que atende pessoas que sofreram situações de risco de exposição a doenças transmissíveis.


A15. Ambulatório COVID (HC UNESP): ambulatório diário que atende pacientes com suspeita e confirmados de COVID Leve


A16. Ambulatório de Líquor: ambulatório semanal para coleta de LCR



B. Enfermaria de Infectologia (HC UNESP): 16 leitos, sendo 05 isolamentos, e desses 02 quartos de pressão negativa. Atividades na rotina e em plantões.


C. Triagem e Pronto Socorro de Infectologia (HC UNESP): Urgência, Emergência e Pronto-Atendimento em Infectologia, 24 horas/dia. Atividades na rotina e em plantões.


D. Comissão de Controle de Infecção Relacionada à Saúde (CCIRAS HC UNESP)


E. Serviço de Ambulatórios Especializados de Infectologia “Domingos Alves Meira” (SAEI-DAM)


F. Serviço de Controle e Prevenção de Infecções em Pacientes Imunossuprimidos (SI HC UNESP)


G. Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais (CRIE HC UNESP)


H. Unidades de Urgência e Emergência de Adultos (HC UNESP)


I. Unidades de Terapia Intensiva de Adultos (HC UNESP)


J. Estágios Optativos: 2 meses


Atividades Teóricas do PRM em Infectologia UNESP


O programa conta com intensa grade de preceptoria teórica, baseada em reuniões que discutem tanto temas básicos quanto avançados em Infectologia, além de reuniões anátomo-clinicas. Conheça as atividades teóricas do PRM em Infectologia FMB-UNESP:


1. Visita Diária da Enfermaria: discussão teórico-prática dos casos internados.


2. Visitão da Sexta-Feira: discussão teórica semanal de todos os pacientes internados.


3. Reunião Clínica da Enfermaria: discussão teórica semanal baseada em um caso internado.


4. Reuniões Anátomo-Clínicas: discussão mensal das autópsias da especialidade, em conjunto com a Patologia.


5. Fundamentos da Infectologia: reunião teórica bimensal.


6. Tópicos Avançados em Infectologia: discussão teórica semanal.


7. Prova Teórica Anual: avaliação nos moldes da Prova de Título de Especialista em Infectologia, com posterior discussão.


8. Eventos: Os residentes também tem oportunidade de se aperfeiçoar em eventos científicos locais, bem como congressos e conferências tradicionais da área.


Corpo de Preceptores

Os preceptores do PRM em Infectologia UNESP compreendem docentes e médicos contratados do complexo FMB UNESP. São profissionais extremamente comprometidos com o ensino, apresentando larga experiência clínica, e de destacado desenvolvimento científico. Conheça o Corpo de Preceptores do PRM Infectologia UNESP:


Prof. Titular Benedito Barraviera - Lattes

Profa. Adjunta Lenice do Rosário de Souza - Lattes

Prof. Adjunto Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza - Lattes

Prof. Dr. Ricardo Augusto Monteiro de Barros Almeida - Lattes

Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa - Lattes

Prof. Dr. Ricardo de Souza Cavalcante - Lattes

Dra. Érika Alessandra Pellison Nunes da Costa - Lattes

Dra. Mônica Bannwart Mendes - Lattes

Dra. Letícia Lastoria Kurozawa - Lattes

Dr. Sebastião Pires Ferreira Filho - Lattes


Dra. Juliana Olsen Rodrigues - Lattes


Dr. Jonas Atique Sawazaki - Lattes


Dr. Gabriel Berg de Almeida - Lattes


Dra. Elisa Ige Kusabara - Lattes

Egressos do PRM em Infectologia UNESP

Iniciado o programa em 1978, quase uma centena de médicos infectologistas foram formados na UNESP, alcançando destaque no cenário científico e médico nacional. Conheça os egressos formados pelo PRM em Infectologia UNESP:


Ano de Ingresso - Nome


1978 Benedito Barraviera 1978 Jussara Marcondes Machado 1979 Marta Brandi Carneiro Gonçalves 1980 José Maria Gomes da Cruz 1980 Paulo Câmara Marques Pereira 1981 José Antonio Grecchi Pirolla 1981 Luiz Carlos Buchalla 1982 Fernando Maran 1982 Maria Regina Cotrim Guimarães 1984 Luiz Torchio Neto 1984 Sueli Ramos de Oliveira 1985 Hélio Marques Malavolta 1985 Lenice do Rosário de Souza 1986 Luiz Gonzaga Pieroni 1986 Mariangela Ferraz Lima 1986 Peter de Oliveira Recalde 1987 José Candido M. da Silva Machado 1987 Leo Jardim Alves de Souza 1987 Paulo José Fortes Villas Boas 1988 Ártemis Kilaris 1988 Jeosafá Campos Prudencio 1989 Dalmo Correia Filho 1989 Denise Arakaki-Sanchez 1989 Denise de Cássia Moreira Zornoff 1990 Cláudia Veiga de Castro 1990 Helio Sampaio Freire de Carvalho Junior 1991 Joper Fonseca Júnior 1991 Rui Rafael Durlacher 1991 Tsai I Shan 1992 Rodolfo Henrique Postigo Castro 1993 Claudio Queniti Hirai 1993 Fábio Luís de Abreu 1993 Ricardo José Leonessa (in memorian) 1994 Brígida Rosa dos Reis 1994 Marcelo Carneiro Antunes 1994 Valeria Drumond Nagem Aragão 1995 Alessandra Gonçalves Santos 1995 Gorki Grinberg 1995 José Ricardo M. de Almeida 1996 Cibele Gomes Ghedini 1996 Wagner Fernandes Lima 1997 Ana Cristina Medeiros Gurgel 1997 Livian Maciel Santos 1997 Marcelo Fernando Ranzani 1998 Érika Alessandra Pelisson Nunes da Costa 1998 Ricardo Augusto Monteiro de Barros Almeida 1999 Haroldo Rodrigues 1999 Maria Fernanda Reis 1999 Paula Urakawa Tokunaga 2000 Paulo Roberto Zanatta Machado 2000 William Chagas Sergio 2001 Alexandre Naime Barbosa 2001 Daniela Lopes 2001 Mauro Shigueru Nakashima 2002 Beatriz Franco Curcio 2002 Edson Carvalho Melo 2002 Fabiano Rodrigues Maximino 2003 Ana Flávia Bonini 2003 Gabriela Gryninger 2004 Gustavo Hideki Kawanami 2004 Lígia Castelon 2004 Paulo Abati 2005 Patrícia Martino Longo 2005 Ricardo de Souza Cavalcante 2005 Taylor Endrigo Toscano Olivo 2006 Ana Rachel de Seni Rodrigues 2006 Bruno Soares Souza 2006 Carolina Malavazzi 2007 Carolyne Rolim Chaves 2007 Renata Rocha 2008 Lucas Marques da Costa 2008 Mônica Bannwart Mendes 2008 Priscila Canet 2009 Fabiana Picoli 2009 Fábio Fagundes Vidal 2009 Letícia Lastória 2010 Elisa Ige Kusabara 2010 João Paulo Vasconcelos Poli 2011 Laena Zanelli de Morais 2012 Rafael Darwich Soares 2012 Sebastião Pires Ferreira Filho 2012 Victor Franco Oba


2013 Danilo Galvão Teixeira


2013 Fernanda Saad Rodrigues


2013 Tassiana Rodrigues dos Santos Galvão


2014 Eraldo de Almeida Neto


2015 Jonas Atique Sawazaki 2016 Gabriel Berg de Almeida 2016 Felipe Augusto de Lucena Oliveira 2017 Bruno Cardoso de Macedo 2017 Henrique Saburo Shiroma 2017 Thaysa Sobral Antonelli 2018 Alexandre Albuquerque Bertucci 2018 Helena Alvarenga Sardenberg 2018 Stephanie Valentini Ferreira Proença



#resenha #infectologia

458 visualizações

@2020 DRBARBOSA.ORG

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Ativo 6c
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now